terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

DF: Rodoviários da Pioneira ameaçam cruzar os braços

Problemas com o pagamento de direitos trabalhistas de empregados da Pioneira podem atrapalhar o governo do Distrito Federal a concluir, dentro do prazo, a renovação da frota de ônibus da capital. A empresa nega ter caixa para arcar com a demissão de 400 funcionários que atendiam a região da Ceilândia. Com isso, as novas empresas não podem contratar essas pessoas, o que acaba por atrasar a conclusão do processo, que deveria ser encerrado nesta sexta (28).

Devido ao impasse, os usuários dos coletivos é quem têm sofrido. Ontem (24), a população de Ceilândia ficou mais de uma hora sem ônibus devido uma paralisação relâmpago. Para amanhã (26), o Sindicato dos Rodoviários já sinaliza uma paralisação geral entre os funcionários da Pioneira, responsável pela Bacia 2 e que atende as cidades do Gama, Santa Maria e São Sebastião. As ações têm como objetivo pressionar a empresa a cumprir com os acordos firmados na licitação.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Rodoviários, João de Jesus, o grupo está sem trabalhar e impossibilitado de seguir para as empresas que passaram a operar a região, que são a Marechal e a São José. “Por ser uma empresa que foi mantida no sistema novo, não esperávamos ter esse problema. Ficamos surpresos”, comenta. “As paralisações não são boas para ninguém, mas são a única forma que temos de pressionar o governo e a empresa”, conclui João.

O DFTrans trata o assunto como uma exceção, já que a grande parte das empresas conseguiram cumprir o cronograma de demissões e pagamento das dívidas trabalhistas. “A empresa precisa resolver o impasse. O governo não tem o que fazer, já que está impedido judicialmente de arcar com dívidas trabalhistas das empresas”, argumento o diretor geral do DFTranas, Marco Antônio Campanella.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Pioneira afirmou que não possui dinheiro para arcar com a dívida, já que, em outro momento, o GDF havia se comprometido a ficar com ela. Segundo a empresa, todo o dinheiro que havia no caixa foi usado na compra dos novos coletivos e na melhoria e ampliação da frota. Na nota, a organização ressalta que, para cumprir o acordo firmado, necessita da ajuda do governo e que aguarda uma reunião para resolver o problema.

ATRASOS E LOTAÇÃO

Prestes a concluir a renovação total da frota, não é difícil encontrar algum usuários reclamando da pouca quantidade de coletivos e das constantes demoras. Segundo Campanella, isso acontece porque, com a renovação, houve uma redução na quantidade de ônibus em circulação. “O problema deve ser resolvido em breve, já que a nova etapa de melhoria do transporte público é universalizar a integração e racionalizar as linhas existentes” diz.

“Acredito que faltou planejamento. A população não pode ficar às margens disso. Somos trabalhadores e é um absurdo nos submeter a transportes cheios ou simplesmente acontecer dos ônibus não rodarem devido a um problema que poderia ter sido evitado com um mínimo de planejamento”, comenta Carmem Alves, de Ceilândia.

Fonte: Jornal Alô Brasília

4 comentários:

  1. Parabéns, OABDF e MPDFT pela lambança promovida por seus representantes na renovação de frota do nosso transporte público. A população do DF agradece pela alienação dos srs. quanto à urgente demanda daqueles que não têm, por algum motivo, um carro importado, um Corolla, enfim, alguma porcaria destas de quatro rodas que os alienam mais e mais nesta cidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No fundo, no fundo, o que os ilustres membros querem com essa decisão não é a negativa radical de intromissão e assunção do Estado nas contas e dívidas de entes privados como concessionários na execução de serviços públicos para evitarem as perdas financeiras desse trabalhadores.
      Se fossem em outras esferas com maior poder econômico com certeza autorizariam o executivo a limpar a bunda dos particulares que fizeram a merda a serviço do Estado.
      É simples: o transporte público não tem poder econômico que seja capaz de influenciar os Drs.

      Excluir
  2. OABDF e MPDFT, mostrem suas caras. Quero ver quem lhes paga para a gente ficar assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não queremos que os ilustres membros da OAB e MDDFT andem de ônibus para ver qual é a real situação que os passageiros sofrem. Se isso é o que está sendo cobrado deles pela errada decisão. Até porque não é função deles e sim do executivo.
      Engravatados pegando ônibus seria engraçado...
      O que criticamos é a miopia dos Drs. na análise do fato irregular. "Estamos vendo o erro, vamos anular a ação e se virem para consertar, SE VIREM."

      Excluir

Sobre a moderação:

1) é de caráter de organização;

2) devido à atualização diária e ao grande volume de notícias postadas, muitos comentários chegam com dúvidas ou perguntas em postagens anteriores e o Blogger não avisa (notifica) que há comentários nestes posts (só quando a moderação está ativada);

3) A moderação é como uma garantia, já que o comentário feito será visualizado e os mesmos serão lidos e publicados e ao meu alcance perguntas feitas serão respondidas;

4) é importante lembrar que não estou online 24h, portanto se fez um comentário, por favor, aguarde como já expliquei no item 3;

5) Podem comentar a vontade, seja este uma crítica, sugestão, reclamação, dúvida, elogio etc, ou seja, o espaço é de vocês leitores;

6) Usem do bom-senso e da educação, pois comentários com palavras de baixo calão e/ou ofensas não serão publicados. Evitem também comentar em caixa-alta, já que o Blogger sinaliza como spam este tipo de comentário.

7) Os comentários publicados não representam a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem.