segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

DF: Microônibus capota na BR-080 e deixa 11 feridos, próximo a Brazlândia

Um micro-ônibus capotou na tarde deste domingo (7), na BR-080, entrada de Brazlândia, próximo ao Incra 8.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, 11 pessoas ficaram feridas no acidente, entre elas o motorista do coletivo e a cobradora, com ferimentos graves. Eles foram encaminhadas para o Hospital Regional de Ceilândia (HRC) e para o Hospital Regional de Brazlândia (HRBZ).

Devido a gravidade das vítimas, o helicóptero da corporação foi acionado para ajudar no resgate. No acidente, três crianças também se feriram. O Samu também auxiliou na ocorrência.

O Companhia Energética de Brasília (CEB) precisou atuar no local, já que o veículo acabou colidindo com um poste após a capotagem.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Goiânia: Usuários insatisfeitos com reajuste da tarifa



Fonte: TV Serra Dourada

GO: Passaredo anuncia inovações no transporte coletivo de Catalão

A Passaredo Transportes Rodoviários, vencedora da licitação realizada pela Prefeitura de Catalão, para a prestação de serviços do transporte coletivo no município, anunciou inovações no sistema, em coletiva de imprensa realizada no último sábado, 14. Luiz Gustavo Viana, diretor da Passaredo, e Carlos Silva, consultor da empresa, apresentaram as mudanças na prestação do serviço à imprensa e aos motoristas da frota. As modificações começaram a ser implantadas neste fim de semana.

De acordo com Luiz Gustavo, já estão em circulação 15 ônibus, com motores eletrônicos, em oito linhas. No pacote também estão: bilhetagem eletrônica por meio de cartões magnéticos, circuito de monitoramento por câmeras, GPS em todos os veículos e implantação de uma Central de Relacionamento para atendimento aos usuários. “A transição vai ser tranquila e não vai gerar nenhum transtorno ao usuário. Todas as informações vão ser dadas. A mudança será feita gradativamente e enquanto isso, não muda nada do que está. O usuário pode utilizar dinheiro para pagamento das passagens, idosos continuam sem passar pela catraca. Todas essas mudanças serão implantadas aos poucos, para a melhoria ainda mais do transporte coletivo de Catalão”, informou o diretor da empresa.

Para o prefeito Jardel Sebba (PSDB), todas as mudanças refletirão em uma melhor prestação de serviços do transporte público em Catalão. “A Passaredo venceu a concorrência e está cumprindo todas as exigências do contrato, com frota nova, acessibilidade, bilhetagem eletrônica, GPS, entre outras inovações. É visível que o rompimento com a Transduarte trouxe melhorias na prestação do serviço, mesmo no contrato emergencial com a Pastrans, com mais ônibus circulando e redução no tempo de espera. Estou confiante, que com a Passaredo a tendência é melhorar ainda mais o transporte coletivo aqui da cidade”, pontuou.

Bilhetagem eletrônica

Viana comentou que uma das vantagens da bilhetagem eletrônica é que o usuário não precisa ir ao Terminal de Coletivos para fazer a integração. “Se ele estiver vindo do bairro dele e passar aqui pelo centro, o Terminal, às vezes, está distante para ele. O usuário pode descer no centro, fazer o que ele precisa, e dentro de uma hora, ele pode pegar novamente outro veículo, desde que não seja da mesma linha. Isso facilita bastante”.

Com a bilhetagem, serão disponibilizados cinco cartões pela Passaredo: vale transporte (para empresas), estudante, sênior (idoso), especial (para portadores de necessidades especiais) e comunitário (para demais usuários), explicou o diretor da empresa. A transação em dinheiro ainda pode ser realizada. “Não serão mais usados vales de papel. Agora, o usuário terá um cartão, parecido com o de crédito. Se ele perder o cartão, ele não perde as passagens. O cartão vai para a lista negra e é bloqueado. O usuário tira outro cartão e as passagens são creditadas nele. Outra vantagem é a agilidade, onde o cartão é passado por um aparelho validador, agilizando mais a parte da operação do transporte”, explicou Viana.

Outras inovações

O diretor da empresa também relatou que todos os ônibus têm acessibilidade, câmeras de monitoramento e ainda contam com o sistema de GPS. Será possível saber onde cada veículo está, a velocidade praticada e monitoramento de atrasos, entre outros ítens. “Toda frota está monitorada, onde dá para verificar atrasos de linhas, desvio de itinerários. Está tudo online, para termos um gerenciamento melhor do transporte coletivo, visando sanar quaisquer problemas que tivermos, como atrasos de linhas, entre outros”, garantiu.

Viana lembrou que havia o prazo de 180 dias para a implantação das exigências do contrato. “Nós tínhamos esse prazo, para a implementação, mas na verdade já utilizamos essas tecnologias, e o que é mais importante, são o que há de melhor em termos de Brasil. Em algumas capitais do Brasil e outras cidades de grande porte são utilizadas exatamente essas tecnologias. E como também as utilizamos em outras cidades, tivemos facilidade de implantar já de imediato aqui”.

O diretor da Passaredo também informou que está sendo discutido com a Prefeitura de Catalão, a melhoria do atual Terminal ou um outro local para o funcionamento do mesmo. Pela concorrência pública, a tarifa que será praticada pela Passaredo, no transporte coletivo, é de R$ 2,90.

Cadastramento dos cartões

O usuário pode fazer os cartões no Centro Integrado de Transporte (CIT), localizado na Avenida Raulina Fonseca Paschoal, 1.601 (fundo do estacionamento do banco Itaú).

Para os idosos haverá um cronograma de cadastro, pelo mês de aniversário.

Mais informações pelo telefone 3442-3826 ou no site www.transportecidadedecatalao.com.br.

Fonte: Prefeitura de Catalão

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Goiânia: Novo preço da passagem de ônibus entra em vigor na Grande Goiânia

Os usuários do transporte coletivo reclamam do novo valor da tarifa que começou a valer neste sábado (6) em toda a Região Metropolitana de Goiânia. O preço da passagem passou de R$ 3,30 para R$ 3,70, um reajuste de 12,1%. O aumento causou indignação de quem utiliza o serviço diariamente. “Se fosse de qualidade, podia subir que a gente não reclamava, mas do jeito que está, não dá”, desabafou o estudante Paulo Rossi, de 21 anos.

O aumento foi anunciado na quarta-feira (3) pela Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC). Segundo o órgão, entre os fatores que motivaram a medida estão os índices inflacionários, o aumento do valor do óleo diesel, o preço de manutenção dos veículos e o salário dos motoristas.

A auxiliar administrativo Maria Navegante, de 42 anos, pega 4 ônibus por dia. Segundo ela, a empresa paga pelo transporte, mas os patrões dela ainda não sabiam do reajuste.

“Meus chefes estão viajando e só chegam segunda, Eu acho um absurdo porque só aumenta e não melhora nada. Eles vão ter que desembolsar R$ 14 por dia pros funcionários continuarem chegando atrasado por conta de pouco ônibus”, afirma.

O problema da falta de ônibus é vivido também pela auxiliar de confeitaria Selma Ferreira de Souza. Ela afirma que já gastou até 4 horas para chegar ao trabalho aos domingos. “Antes, eu demorava uma hora e meia, que já é muito, para ir do Garavelo ao Setor Sudoeste, agora eu já gastei 2 horas para chegar. É absurdo”, disse Selma.

Segundo o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte (Set), Décio Caetano, apesar do aumento no valor da passagem, não há nenhum projeto para melhorar as linhas da Região Metropolitana da capital. “Esse reajuste, apesar de ser acima da inflação, ele não traz equilíbrio para o sistema. As empresas continuam operando com déficit. Não há nenhuma perspectiva no momento de poder fazer investimentos e melhoria no sistema“, afirmou o presidente.

De acordo com ele, de 2014 para 2015 o transporte coletivo da capital perdeu 9% dos usuários. “O sonho de todo mundo que anda de ônibus é comprar um carro, uma moto e parar de andar de coletivo. Isso acontece porque o sistema é ruim e essa realidade precisa mudar”, completou Caetano.

O estudante Paulo Rossi é um dos que sonham em não depender do transporte público. "Eu quero na primeira oportunidade comprar algum meio de locomoção pra mim pra não ter que andar de ônibus", afirmou.

Impactos

Grande parte dos trabalhadores recebe o vale-transporte das empresas. O subsídio é um direito de pessoas contratadas pelo regime da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Com o aumento, os empregadores são a classe mais atingida financeiramente. Como é o caso do gerente de um posto de combustíveis da capital, Fábio Castro.

“Quando eu fiquei sabendo do aumento, pensei em primeiro lugar no desemprego que isso pode causar. Porque hoje em dia tudo que onera a empresa recai sobre o trabalhador”, afirmou o gerente.

Segundo ele, o posto que ele administra tem 7 funcionários, que recebem cerca de R$ 150 de benefício. Com o reajuste, a empresa terá de desembolsar cerca de R$ 177 por cada frentista. “O quadro de funcionários já é pequeno, qualquer reajuste já abala. Imagina o trabalhador autônomo, que paga do próprio bolso”, disse.

O economista Danilo Orsida disse que o aumento da passagem de ônibus em Goiânia só faz com que o poder de compra das pessoas diminua ainda mais. Segundo ele, a mudança de valor é acima da inflação e maior do que o índice de reajuste do salário mínimo, por exemplo.

“À medida que vamos comparando a evolução do salário das pessoas em paralelo ao custo de vida gerado por aumento de transporte, combustível, energia, impostos e tantos outros itens, temos a evidente perda de poder aquisitivo da população”, afirma o economista.

De acordo com Orsida, como o transporte é algo essencial no cotidiano das pessoas, fica praticamente impossível fugir deste gasto. “Talvez uma alternativa seja planejar melhor o roteiro, pedir carona, fazer de tudo para tentar diminuir os gastos”, considerou.

Fonte: G1 GO

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Panorama Ipea: Tarifas e Regulação do Transporte Público

“Hoje o transporte público e urbano são muito competitivos. É uma competição com o transporte individual, automóvel e motocicleta. Dentro do transporte público você tem diversas modalidades. Então, na verdade, o setor tem que avançar, entretanto ainda é muito conservador no aspecto de diversificação tarifária e políticas tarifárias. Durante muitos anos adotou sempre um modelo de tarifa única de uma forma só de pagamento que era pagar no momento. Por que é importante criar essas políticas de diversificação tarifária? Para atrair demanda e fidelizar”. No debate sobre tarifas e regulação do transporte público, o técnico de Planejamento e Pesquisa do Ipea Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho falou sobre a importância de novas políticas tarifárias.

O outro convidado, Marcos Bicalho, diretor Executivo da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), apontou a forma que essas políticas tarifárias funcionam hoje no Brasil. “O cálculo da tarifa é feito em cima de uma apropriação de custos. O preço do serviço está diretamente relacionado a um desenho de uma rede de transportes e outras características como o próprio desenho da cidade, se é muito densa ou pouco densa, se tem anéis, como é o caso específico de Brasília. Isso tudo influencia diretamente no custo do serviço".



Fonte: NTU

Goiânia: Obras avançam no Terminal Goianira

As obras por aqui no Terminal de Goianira não param! Mesmo com o feriado de carnaval, nosso bloco continuará trabalhando em todo o período festivo. Bãodimaisdaconta, né não?  #MomentoMetrobus
Publicado por Metrobus SA em Quinta-feira, 4 de Fevereiro de 2016

Goiânia: Planilha de férias vai até depois do carnaval

A sensação do usuário de que ele tem esperado mais tempo pelos ônibus nos pontos ou terminais é real e ocorre porque as concessionárias ainda operam com planilhas de férias. A medida deve durar até o próximo dia 10.

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) elaborou o calendário deste ano baseado nas férias escolares e também no feriado de carnaval, o que fez com que se somasse o período de descanso dos alunos à primeira semana de fevereiro, mesmo que os colégios e universidades já tenham iniciado o ano letivo.

A CMTC explica que não são retirados ônibus das ruas neste período, o que ocorre é um aumento no período de regularidade das viagens, ou seja, o tempo de saída entre um veículo e outro no ponto inicial fica maior. Este ajuste é entre 5 e 20 minutos, a depender da regularidade normal da linha. Ou seja, linhas com maior frequência tiveram aumento menor do tempo e assim por diante.

Demanda

A planilha de férias é adotada todos os anos, devido à diminuição da demanda de usuários e também do tráfego na cidade.

Fonte: O Popular